2 de março de 2013

Purgatório existe? Os Católicos São idolatras?


Blog Evangelizando!


Mensagem enviada por um Protestante:Queridos irmãos católicos, sei que cada um tem seu credor e defende sua fé, muitos ate discutem por não conhecerem a palavra de Deus mas todos querem ir para o céu, pois quem fala do que não sabe, faz propaganda da própria ignorância.

ENTÃO, chegou a hora de assumirmos um compromisso com Deus, e abandonar a religiosidade, pois ser religioso não é ser salvo em Jesus, Jesus não ensinou nós sermos religioso, ele ensinou sermos cristãos crentes e não incrédulos, irmãos chegou a hora de vocês se converterem, veja que o céu é lá mas a preparação é aqui, mérito de religiosidade não é passaporte para o céu, nem diploma de salvação, todos sabemos que não existe o purgatório, então como que esses milhões de católicos podem ser salvos??? por acaso existe outro salvador a não ser Jesus??? pelo amor de Deus faça o que Maria pediu, FAZEI TUDO QUE ELE MANDAR, e ele esta mandando vós se arrepender porque é chagada a hora, até quando irmãos católicos vós ireis seguir outros deuses, que tem boca e não fala, tem olhos e não veem, tem nariz mais não respiram, tem pés mas não andam...ATE QUANDO?? OUTRA COISA antes de falar dos protestantes vocês deveriam olhar sua própria religião "Respeito é bom e nós gostamos".

Resposta Católica:
"Respeito é bom e nós gostamos".
Eu também gosto de respeito. Mas não consideraria respeito, quem, por falso respeito por mim, me deixasse em erro. Eu agradeceria quem me mostrasse algum erro, para me corrigir e para me salvar, porque o respeito pelas pessoas exige que não se respeitem seus erros. É o que faz qualquer professor ao corrigir as provas de seus alunos queridos.

Agora vamos corrigir suas falsas ideias e seus fracos argumentos!

Evidentemente a Igreja Católica não inventou o purgatório. Deixe-me repetir alguns deles, para que outros leitores os aproveitem.

Em São Mateus se lê que Cristo disse:

"Por isso vos digo: todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens, porém, a blasfêmia contra o Espírito Santo não será perdoada. Todo o que disser alguma palavra contra o Filho do homem, lhe será perdoado; porém o que a disser contra o Espírito Santo não lhe será perdoado, nem neste mundo, nem no futuro" (Mt. XII, 31-32).

Portanto, há pecados que são perdoados no mundo futuro. Com essas palavras Cristo nos ensinou que há pecados que Deus perdoa após a morte. Portanto, existe o purgatório.

Os primeiros cristãos já sabiam disso, pois liam os Evangelhos e os Apóstolos lhos explicavam.

Também no livro II dos Macabeus se afirma que "É um santo e saudável pensamento orar pelos mortos, para que sejam livres de seus pecados" (II Mac. XII , 46).

Portanto, documento mais antigo e mais autêntico do que a própria Sagrada Escritura não há.

Entretanto, é preciso dizer-lhe que já entre os judeus era costume, após a morte de alguém, rezar durante onze meses seguidos a Deus, para que apressasse a purificação da alma da pessoa falecida. Rezava-se, então, a oração chamada Qaddish, palavra que deriva de Qaddosh, ou seja santo, para pedir a santificação da alma da pessoa falecida. Se os judeus já faziam isso, baseados no livro dos Macabeus, é claro que essa tradição continuou na igreja.

Com relação a adoração e veneração de santos Vou lhe explicar mais!! E que sirva também para os Católicos para que sempre defendam nossa fé!
Para te responder irei sitar também uma mulher que sempre é atacada pelos protestantes, Nossa Santíssima Virgem Maria!

Vamos direto ao assunto:

Os católicos distinguem claramente entre culto de adoração, que devemos somente a Deus , nosso Criador e Redentor; e veneração que implica apenas: respeito, admiração, imitação, amor, etc., como se costuma demonstrar aos pais virtuosos, ou aos heróis da pátria ou da Igreja, erguendo em honra deles monumentos, e dando seus nomes a cidades, montanhas, praças, ruas, etc. Nada mais humano também bíblico!

Até o próprio Deus venera os nomes dos santos patriarcas, permitindo na Bíblia ser denominado "o Deus de Abraão, de Isaac e de Jacó"( Ex 3,6 ).

Foi Deus que enviou o anjo Gabriel para saudar a Virgem Maria: "Ave, cheia de graça!" (Lc 1,28) e colocou na boca de Isabel as palavras inspiradas: "Bendita sois vós entre as mulheres"( Lc 1,42).

Igualmente Maria profere as palavras inspiradas pelo Espírito santo: "Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada,..."( Lc 1,48 ).

Portanto, cumprindo estas profecias bíblicas e repetindo com respeito e amor na oração de "Ave Maria", a saudação de Gabriel e de Isabel, os católicos cumprem melhor as indicações da bíblia do que os protestantes, que ignoram tudo isso, e pretendem rezar somente a Deus.

b) Intercessão. A própria Bíblia aplica o título de "mediador" também a Moisés (Dt 5,5): "Eu fui naquele tempo intérprete e mediador entre o Senhor e vós". E S. Paulo, na mesma carta em que declara Jesus como único mediador entre Deus e homens, indica também mediadores "secundários" ( I Tm 2,1-5): "Recomenda que se façam preces, orações, súplicas e ações de graças por todos os homens.." Pois, fazer orações por outros, é de fato, ser intercessor e mediador entre Deus e os outros.

c) Alguns "protestantes" admitem que os vivos podem interceder em favor dos outros. Negam, porém, esta possibilidade aos falecidos, mesmo à Virgem Maria e aos Santos. Eis, o que lhes responde a Bíblia.

Em II Mac 15,12-15 lemos: "Parecia-lhe ( a Judas Macabeu) que Onias, sumo sacerdote ( já falecido!)... orava de mãos estendidas por todo o povo judaico... Onias apontando para ele, disse: "Este é amigo de seus irmãos e do povo de Israel; é Jeremias ( falecido!), profeta de Deus, que ora muito pelo povo e por toda a cidade santa".

Se, pois, Moisés e Timóteo em vida, e Onias e Jeremias depois da morte, como ainda muitas outra pessoas na Bíblia, rezam a Deus e são mediadores entre Ele e o povo, quem poderá proibir esta intercessão à V. Maria e aos Santos? Por isso, desde os primeiros séculos, os fiéis cristãos rezavam: "Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte".

Portanto, as palavras de S. Paulo: "Há um só mediador entre Deus e homens, Jesus Cristo, Homem", a tradição apostólica as entendia desta maneira: Jesus Cristo é o único Mediador ( primeiro) que nos mereceu todas as graças e a salvação eterna, pela sua vida, morte e ressurreição. Só ele pode nos dar dos seus méritos, sem recorrer a nenhum outro mediador. Enquanto a V. Maria e os Santos intercedem por nós pecadores, como mediadores secundários, por meio de Jesus, recorrendo a seus méritos e sua mediação. Por isso, cada oração litúrgica termina: "por nosso Senhor Jesus Cristo..." Esta verdade herdamos dos primeiros cristãos. Antes de serem escritos os Evangelhos, eles aprenderam no "Símbolo Apostólico" ( ou Credo dos Apóstolos) "Creio na Comunhão dos Santos". Sejamos gratos a Deus por tão bela verdade, por Ele a nós revelada!

-Cavaleiros Da Fé Católica-

3 comentários:

Postar um comentário

Atenção: Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post. Toda polêmica será prontamente banida. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog evangelizarr.blogspot.com.br - Reservamo-nos o direito de excluir qualquer comentário que julgarmos inoportuno ou que não esteja de acordo com a política do blog.

Todos os Direitos Reservados. Tecnologia do Blogger.